EXPOSIÇÃO INTERATIVA DO PROJETO ILHAS DO RIO SOBRE O MONA CAGARRAS VOLTA AO RIO REPLETA DE NOVIDADES

Publicado em: 18/11/2019 emDestaque

,
Evento

Pela primeira vez, evento vai contar com um simulador da Marinha, além de novos jogos interativos e oficinas para as crianças.

Muitos conhecem as ilhas de longe, mas poucos já tiveram a chance de ver com os próprios olhos a rica biodiversidade do Monumento Natural das Ilhas Cagarras (MoNa Cagarras), localizado a apenas 5km da praia de Ipanema. Pensando nisso, o Projeto Ilhas do Rio, que vem desde 2011 realizando pesquisas na região com o patrocínio da Petrobras, vai realizar mais uma exposição interativa sobre o tema, que fica em cartaz de 25 de novembro a 1º de dezembro, no Teatro do Jardim, do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Através de fotos, mostras de espécies de animais e plantas e diversas atividades interativas, o público vai poder mergulhar nas belezas das ilhas e ficar por dentro das principais descobertas científicas feitas pelos pesquisadores ao longo desses anos.

Quem for ao evento terá a chance de ver em primeira mão as imagens do segundo documentário do projeto, “Ilhas do Rio: Ciência e Conservação”, que traz os resultados obtidos nessa nova fase de estudos, tendo como foco a biodiversidade do MoNa Cagarras, das Ilhas Tijucas e Maricás, além da Lagoa Rodrigo de Freitas, onde foi realizada uma pesquisa inédita sobre a conectividade genética dos peixes presentes na lagoa e no mar. O documentário será exibido diariamente, às 16h, a partir do dia 26.

Os visitantes poderão conferir ainda mais 150 fotos com imagens raras e exclusivas de espécies de animais e plantas, para entender um pouco mais sobre a geografia do MoNa Cagarras. Uma maquete em 3D reproduz o mapa da região em proporção, indicando suas dimensões, profundidade e distância entre as ilhas. A exposição também traz alguns instrumentos de pesquisa, como o equipamento completo utilizado pelos pesquisadores em seus mergulhos científicos. 

INTERATIVIDADE – Uma das novas atrações é um simulador da Marinha do Brasil, usado para o treinamento inicial de jovens estudantes da escola naval, que traça um percurso de navegação até o MoNa Cagarras. Durante a simulação, o piloto deve realizar algumas missões, como, navegar sobre um canal indicado na tela e recolher um “homem ao mar”, por exemplo.

Outra novidade é o espaço onde será possível ver e tocar em exemplares de estrela-do-mar, corais, bolacha do mar, conchas, entre outros seres bentônicos (que vivem associados ao substrato), dispostos em diferentes tipos de areia. Um “cardume” suspenso em forma de móbile apresenta as principais espécies de peixes por lá encontradas. E, pra completar, a “Caixa de Escavação” traz a simulação de um pequeno sítio arqueológico com réplicas dos artefatos líticos encontrados no cume da Ilha Redonda, em 2011, possivelmente utilizado pelos índios tupi guarani.

O acervo conta ainda com alguns animais empalhados, como uma fragata, um atobá marrom, um tubarão martelo e, estreando na mostra, um peixe Mero gigante com mais de 1 metro de comprimento. Já os plânctons (organismos que vivem em suspensão na água) podem ser vistos em detalhes com auxílio de uma lupa. Para completar, a exposição traz mais de 100 exemplares da Coleção Zoológica Didático-Científica, da Seção de Assistência ao Ensino (SAE), do Museu Nacional, salva do incêndio que atingiu a instituição em 2018.

ESPAÇO KIDS – além de todas as atrações listadas, as crianças podem aproveitar diversas atividades extras, como um painel tátil representando o costão das ilhas e um painel para tirar foto como se fosse um mergulhador. Tem também um jogo da memória com imagens de espécies representativas do MoNa Cagarras. Nos fins de semana, a programação conta ainda com oficinas de pintura de rosto e contação de histórias.

PALESTRAS – quem quiser se aprofundar mais sobre o MoNa Cagarras pode conferir as palestras temáticas sobre algumas linhas de pesquisa do projeto Ilhas do Rio. No sábado, o pesquisador Massimo Bovini fala sobre as importantes descobertas relacionadas à flora e sobre o experimento pioneiro de retirada do Capim Colonião, espécie invasora encontrada na Ilha Comprida. No mesmo dia, o pescador Manasi Rebouças revela curiosidades e dados sobre a pesca artesanal no entorno da Unidade de Conservação. No domingo, é a vez da pesquisadora de avifauna, Larissa Cunha, apresentar as importantes descobertas feitas através do monitoramento do ninhal das fragatas localizado na Ilha Redonda (um dos maiores do Atlântico do Sul com 5.500 indivíduos estimados) e os mais de 2.500 atobás-marrom que habitam a Ilha Cagarra. Finalizando a programação, Fernando Moraes traz um apanhado da biodiversidade terrestre e marinha das ilhas.

SERVIÇO:

EXPO INTERATIVA DO PROJETO ILHAS DO RIO

Data: 25 de novembro a 01 de dezembro

Local: Teatro do Jardim

Horário: 9h às 17h (exceto segunda, 25, de 13h às 17h).

Censura: Livre

Entrada Franca

PALESTRAS:

Dia 30 de novembro (sábado):

11h às 11h30 – MoNa das Ilhas Cagarras: a flora com suas vulnerabilidades, curiosidades e o fogo como seu aliado. Dr. Massimo Bovini.
12h às 12h30 – A pesca artesanal no entorno do MoNa Cagarras. Manasi Rebouças.

Dia 1 de dezembro (domingo): 

11h às 11h30 – Os verdadeiros “cariocas da gema”. Dra. Larissa Cunha.
12h às 12h30 – Vida Insular: a biodiversidade das Ilhas do Rio. Dr. Fernando Moraes.

Fernanda Lacombe – fernanda@lageassessoria.com

21. 3579-8960/21 98121.7409