SRV (Submersible Rorating Video) na pesquisa de peixes recifais

Publicado em: 25/02/2019 emDestaque

,
Novidades
,
Pesquisa

O Projeto Ilhas do Rio pesquisa a Ictiofauna das ilhas cariocas desde 2011, e já soma mais de 80 novos registros de espécies de peixes para as ilhas.

Hoje, o MoNa Cagarras, o Arquipélago das Tijucas e o Arquipélago de Maricás contam com mais de 200 espécies de peixes identificadas. Somente no MoNa Cagarras 135 espécies de peixes estão presentes.

Para aprimorar a pesquisa, o projeto está utilizando uma técnica inovadora para caracterizar a diversidade de peixes que habitam os recifes rochosos. Trata-se da técnica chamada vídeo submerso rotacional (Submersible Rorating Video – SRV em Inglês).

O sistema SRV foi desenvolvido por pesquisadores norte-americanos da Florida State University Coastal and Marine Laboratory, que são colaboradores do Projeto Ilhas do Rio. Esses mesmos pesquisadores montaram as quatro unidades de SRV que estão sendo utilizadas no Projeto, no desenvolvimento das atividades de monitoramento da fauna de peixes recifais.

O sistema consiste numa câmera subaquática de alta resolução que gira lentamente por meio de um motor inserido dentro de um sistema de cilindro e eixo. O sistema leva 1 minuto para perfazer duas voltas completas (360°) enquanto capta as imagens.

O uso desse sistema traz inúmeras vantagens, além se ser uma das várias metodologias utilizadas pelo projeto para complementar o inventário da fauna subaquática. Dentre as vantagens de uso desse sistema, temos:

– Eliminação da presença do mergulhador – cujo efeito pode inibir a presença de algumas espécies;

– Maior eficiência – possibilita realizar mais amostragens simultâneas;

– Custo benefício – reduz o tempo da equipe no mar;

– Não destrutiva – ideal para áreas protegidas, pois não causa impacto nas espécies;

– Segurança dos mergulhadores – o equipamento pode ir a 100m de profundidade, muito além dos limites seguros para o mergulho com ar comprimido;

– Registro permanente – os vídeos podem ser depositados em um banco e assistidos em diversos momentos da pesquisa.

Os vídeos obtidos com o auxílio dessa técnica são analisados em computador, formando um banco de imagens permanente de alta resolução, onde os peixes são identificados e contabilizados.

O pesquisador responsável por essa linha de Pesquisa no Projeto Ilhas do Rio é Áthila Bertoncini, Doutor em Ecologia e Recursos Naturais, Pesquisador e Fotógrafo, que participa do Projeto Ilhas do Rio, desde o seu início, em 2011. O Dr. Áthila acredita que essa técnica irá trazer resultados inéditos ao projeto, como a observação de uma maior quantidade de espécimes que raramente são avistados pelos mergulhadores, justamente pela influência das bolhas da respiração, além do possível registro de comportamentos das espécies marinhas.

Confira no vídeo abaixo como o SRV está sendo utilizado nas nossas pesquisas:

https://youtu.be/_Nk2DbHvvOc