Ilhas do Rio – Nossa relação com o meio ambiente e responsabilidade social

Publicado em: 20/07/2022 emDestaque

,
Novidades

Atualmente, quando pensamos em responsabilidade social, é comum relacionarmos o conceito a práticas de empresas que buscam devolver para a comunidade os seus ganhos por meio de ações que beneficiam determinado grupo de pessoas ou um ambiente no qual está inserida, muitas vezes até como estratégia de marketing, porém a responsabilidade social não é, nem pode ser, só isso. 

A responsabilidade social tem a ver com o que cada um de nós enquanto indivíduos e pertencentes aos mais variados grupos fazemos para tornar melhor a vida de todos que estão ao nosso redor, inclusive aqueles que vão herdar da gente o planeta, nossos filhos e netos.  

Podemos pensar em melhorar o mundo de muitas formas, reduzindo as causas e sintomas da pobreza, aumentando as oportunidades de trabalho, atuando em prol da educação, buscando melhores condições sanitárias em regiões que carecem de serviços dessa natureza ou mesmo o desenvolvimento de sistemas de saúde mais eficazes. Entre todas essas, o cuidado com o meio ambiente não pode jamais ser deixado de lado, pois, na verdade, se relaciona com tudo isso, com nosso bem-estar de maneira geral e nossa sobrevivência. Logo, cuidar do meio ambiente é ter responsabilidade social.

Responsabilidade social e meio ambiente 

A emergência climática é um fato irrefutável. Infelizmente, as atividades humanas são o fator preponderante para o aumento da temperatura da Terra e os eventos extremos que temos testemunhado nos últimos anos. 

O relatório sobre mudanças climáticas do IPCC – Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, da ONU – Organização das Nações Unidas, publicado em agosto de 2021, reuniu milhares de evidências coletadas por centenas de cientistas que apontam variações alarmantes na temperatura da Terra que trarão, e já estão trazendo, consequências preocupantes para a vida humana nas próximas décadas. 

Entre os pontos levantados no relatório é possível destacar o aumento do nível do mar, que triplicou nos últimos anos em relação ao período contido entre os anos de 1901 e 1971 e a média de temperatura global, que aumentou 1,09°C no período de 2011 a 2020 em comparação ao intervalo de 1850 a 1900. 

Como consequência, eventos climáticos extremos como grandes inundações que aconteceram recentemente na Alemanha e China ou as ondas de calor na Grécia e América do Norte têm se tornado muito mais frequentes. 

Tempestades e secas também acontecerão mais vezes no sudeste e nordeste do Brasil, respectivamente, e o nível do mar pode subir 2 metros até 2100 e 5 metros até 2150, colocando muitas áreas povoadas embaixo d’água. 

O relatório aponta inclusive que muitas dessas mudanças poderão ser irreversíveis se ações imediatas não forem tomadas. Portanto, há poucas preocupações tão urgentes quando o meio ambiente quando pensamos em responsabilidade social. 

E como responsabilidade social não se resume apenas à nossa sobrevivência, mas a nosso bem-estar e desenvolvimento, cuidar do meio ambiente tampouco, tendo impactos em questões que extrapolam esses tópicos. Uma relação saudável com o meio ambiente tende a ser vantajosa também sob a perspectiva econômica, como é no caso do Monumento Natural das Ilhas Cagarras (MONA Cagarras), que vem sendo cuidadas de perto pelo Projeto Ilhas do Rio, realizado pelo Instituto Mar Adentro, desde 2011.

 

Campanha Manifesto pelo Oceano – Junho de 2022. ©Thiago Paes Leme

O Instituto Mar Adentro

O Instituto Mar Adentro é uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos e econômicos que tem como objetivos a promoção e gestão do conhecimento de ecossistemas aquáticos e conta com mais de 20 membros entre pesquisadores, gestores, divulgadores científicos e outros profissionais especializados em meio ambiente. 

Nesse sentido, em suas atividades, o Instituto pratica a responsabilidade social produzindo e divulgando conhecimento sobre os ecossistemas aquáticos e estimulando o envolvimento das pessoas com as medidas de conservação ambiental, aproximando a relação entre a população e o ambiente onde vivem, por meio da divulgação científica, atividades de educação ambiental e promoção de eventos voltados para a conservação do meio ambiente.

Entre os importantes projetos tocados pela instituição está o já mencionado Projeto Ilhas do Rio, que tem como objetivo a preservação do litoral do Rio de Janeiro, em especial o MONA Cagarras.

 

Ilhas Cagarras – Meio Ambiente e Responsabilidade Social na prática

O início do Projeto Ilhas do Rio remonta ao ano de 2010 quando foi criada pela Lei 12.229 e a unidade de conservação de proteção integral MONA – Monumento Natural Ilhas Cagarras, situada a aproximadamente 5 km da orla da Praia de Ipanema, na cidade do Rio de Janeiro. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), uma autarquia em regime especial vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, é o órgão responsável pela gestão e manejo desse Monumento Natural, e é parceiro institucional do Projeto Ilhas do Rio.

A unidade de conservação é um verdadeiro santuário natural localizado a aproximadamente 5km da orla da Praia de Ipanema, um dos cartões postais mais famosos do Rio de Janeiro, e é composto pelas ilhas Cagarras, Palmas, Comprida e Redonda e as ilhotas Filhote da Cagarras e Filhote da Redonda, além da área marinha com raio de 10 mil metros que circunda as mesmas ilhas. 

O arquipélago é um singular refúgio para a biodiversidade, além de conter um sítio arqueológico. Por lá passam baleias-jubarte, em seu ciclo migratório, golfinhos e tartarugas. As ilhas Cagarras também abrigam significativos ninhais de aves marinhas, além de ser uma área essencial para a reprodução de espécies de peixes de importância comercial. Há mais de uma década os cientistas do projeto vem desenvolvendo estudos e monitoramentos de longa duração sobre as espécies marinhas e terrestres da fauna e flora das ilhas, tudo em parceria com renomadas instituições de pesquisa e ensino do Brasil, como o Museu Nacional da UFRJ. Em parceria também com o Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro o projeto ainda realiza um trabalho pioneiro de restauração ecológica, com replantio de espécies nativas e recuperação da cobertura das matas nas ilhas do arquipélago.

Desde abril do ano seguinte, em 2011, o Projeto Ilhas do Rio trabalha pela conservação das ilhas com a missão de subsidiar órgãos tomadores de decisão com dados de pesquisas e monitoramentos de longo prazo. Com dados precisos, é possível tomar melhores decisões nesse sentido, o que reforça o caráter de responsabilidade social do Projeto.

Além do valor cultural, histórico e científico das ilhas, um dos grandes beneficiários de uma proteção efetiva do espaço são os pescadores artesanais da Colônia Z-13, da praia de Copacabana, que existe desde 1923, com uma parceria para compreensão mútua das questões relacionadas à preservação do meio ambiente e a pesca sustentável e artesanal.

A batalha da natureza: responsabilidade social, educação ambiental e arte

Outro projeto que faz parte de atuação do Instituto Mar Adentro é a peça teatral infantil – A Batalha da Natureza. Os emblemáticos personagens Atobá, Tartaruga, Bromélia, Cacto e Peixe dramatizam situações do cotidiano que impactam negativamente o oceano e as ilhas, como descarte de lixo no mar, falta de separação de lixo e poluição, levando educação ambiental infantil para milhares de estudantes da rede pública e privada do Rio de Janeiro.

A peça ensina atitudes de preservação ambiental, o descarte correto e a separação do lixo e ao final da peça, os personagens convidam o público para uma brincadeira de um quiz com perguntas relacionadas à fauna e flora apresentadas durante a peça e a proteção do meio ambiente! 

A peça online também está disponível online: https://www.youtube.com/watch?v=lDmndKDNsRQ

Encenação da peça de teatro infantil de educação ambiental – “A Batalha da Natureza”. ©Leo Marinho

Conclusão

Seja pela nossa sobrevivência, avanço tecnológico, científico e cultural ou pelo desenvolvimento econômico e uma vida mais sustentável, cuidar do ambiente e de nossas Ilhas do Rio trata-se de um trabalho de responsabilidade social manifestada e materializada no cotidiano do nosso Projeto!