Projeto Ilhas do Rio participa em Brasília da Oficina Estratégia Nacional Oceano sem Plástico (ENOP)

20240618_094159

Nos dias 18 e 19 de junho, foi realizado em Brasília a Oficina Estratégia Nacional Oceano sem Plástico (ENOP). As atividades foram promovidas pelo Departamento de Oceano e Gestão Costeira do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, por meio do Projeto TerraMar (MMA/GIZ/IKI), e pela Cátedra Unesco para a Sustentabilidade do Oceano. O Projeto Ilhas do Rio esteve representado pela pesquisadora e microbiologista Marlise Araújo, da Associação Brasileira de Combate ao Lixo no Mar (ABLM). 

O objetivo das atividades, realizadas nas Pontifícias Obras Missionárias, foi reunir subsídios para a elaboração da ENOP por meio da coleta de sugestões e de experiências de variados setores para enfrentar o problema da poluição de plástico no oceano. As discussões têm como meta a elaboração das propostas do Brasil para a rodada final de negociações visando a aprovação de um tratado global contra a poluição plástica em um encontro que ocorrerá em novembro, na Coreia do Sul. As articulações internacionais estão sendo lideradas pelo Programa das Organizações das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma).  

Para viabilizar um processo mais participativo, foram organizados dois encontros em Brasília para diferentes públicos-alvo: representantes da sociedade civil organizada, universidades e institutos de pesquisa e representantes de estados e municípios. Segundo Marlise, a equipe da Cátedra Unesco, coordenada pelo professor titular do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IO-USP), Alexandra Turra, reuniu no encontro cerca de 60 pessoas de variadas formações e vivências, dentre elas a diretora de Oceano e Gestão Costeira do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), Ana Paula Prates, representantes da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), pesquisadores de instituições acadêmicas, como da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Participaram ainda representantes da sociedade civil, incluindo líderes nacionais das associações de catadores e de pescadores artesanais. De acordo com Marlise, foram realizadas 8 oficinas divididas por temas específicos que estão interligados visando a elaboração das propostas do Brasil para a rodada final de negociações na Coreia do Sul. “A meta de fazer do encontro um momento de captura das ideias e propostas dos presentes foi um sucesso”, afirmou Marlise.

Segundo ela, cada tema das oficinas foi organizado em “um mural composto pelas ideias apresentadas, que foram sintetizadas por um representante”. “Foi um trabalho intenso, rico, elaborado num clima de muita camaradagem e trocas robustas”. No segundo dia, antes do encerramento, puderam ser apresentadas as ações implementadas por várias iniciativas, como as do Projeto Ilhas do Rio.

Compartilhe:

Posts recentes

plugins premium WordPress

Faça a sua doação através dos nossos dados bancário abaixo:

Faça o escaneamento do QR Code do Projeto Ilhas do Rio no aplicativo do seu banco e comece a salvar as espécies